sábado, 17 de setembro de 2011

projeto: s o doce gostinho de aprender respeitando as diferenças JUSTIFICATIVA As escolas brasileiras têm hoje o dever de planejar e colocar em execução um currículo que promova a educação na e para a diversidade. A inclusão escolar tem sido um tema bastante atual. Crianças que antes eram excluídas da escola regular e colocadas em instituições para deficientes agora tem o direito garantido por lei , á educação e de freqüentar a mesma escola das crianças ditas normais, Sendo assim,tal como a sociedade,uma classe de Educação Infantil é um espaço social formado por pessoas:Professores e crianças diferentes umas das outras,por razões diversas,como nacionalidade, pertencimerito étnico-racional,condição social,gênero e expectativas,também diferentes. . Pensando assim optamos por trabalhar com o projeto, cujo tema é:Acriança e o lúdico:”Um jeitinho de aprender respeitando as diferenças”.Que tem como objetivo geral criar situações através do aspecto lúdico que facilitem a conscientização dos alunos sobre a importância de refletir sobre a diversidade,promovendo o convívio adequado entre os mesmos. A escola deve ser capaz de atender os alunos em suas especificidades e singularidades e isso é valido para todos, não só para os que possuem algum déficit .É papel dela encontrar caminho para atender a diversidade,engajando as crianças no mundo das diferenças,preparando-os para ser legítimos cidadãos.Na sala há alunos que são portadores de necessidades especiais e de diversas culturas que exige do professor um olhar diferenciado para seu planejamento,bem como para o currículo escolar,através de atividades desenvolvidas em sala de aula. É importante ressaltar que inclusão não significa tratar a todos como iguais,anulando as diferenças.A diversidade é um elemento extremamente enriquecedor para a aprendizagem.Os alunos devem,portanto,perceber,identificar e saber lidar com as diferenças.Sabe-se que,brincar é um direito da criança e que é brincando que ela aprende a lidar com o mundo,além de formar sua personalidade. O ato de brincar é uma atividade,espontânea e natural da criança e é benefícios por estar centrado no prazer. Já está provado que as manifestações lúdicas desempenham funções muito importante no desenvolvimento das crianças. Além disso,elas podem ser utilizadas como importante instrumento didático. A partir deste contexto,resolvemos trabalhar com esse projeto que será desenvolvi qual será destinado a crianças , na faixa etária de 04 a 06 anos OBJETIVO GERAL Criar situações através do lúdico que facilitem,a conscientização dos alunos sobre a importância de refletir sobre a diversidade entre os mesmos Criar condições para que as crianças observem, analise e reflita sobre as características (semelhanças e diferenças) dos seres humanos. Específicos: Perceber as características físicas que fazem parte de sua pessoa,identificando a parte que mais lhe agrada. Integrar-se e conviver fraternalmente com todos em sala de aula e fora dela,respeitando as diferentes • Conscientizar a todos na escola dos valores que cada um tem perante a sociedade. Incentivar os conhecimentos de cada cultura • Respeitar as etnias e desigualdades sociais.aprendizagem: • Vivenciar momentos de prática no conhecimento das diferentes culturas na escola. • Praticar o aprendizado de formas diferentes mais concretas dentro de atitudes através de diversos recursos lúdicos. • Criar um esquema onde todo o conteúdo do projeto seja interdisciplinar e posto em prática nas mais qualificadas aulas. • Vivenciar juntos a equipe e colegas o tema trabalhado, sempre sugerindo, participando e originalizando suas idéias DESENVOLVIMENTO Preconceitos, rótulos, discriminação. É inevitável: desde muito cedo, os pequenos entram em contato com esses discursos negativos. Para que eles saibam lidar com a diferença com sensibilidade e equilíbrio, é preciso que tenham familiaridade com a diversidade - e não apenas em projetos com duração definida ou em datas comemorativas, como ainda é habitual em vários lugares. Outra recomendação importante é que a questão não seja tratada como um conteúdo específico (o que invalida propostas do tipo "bom, turminha, agora vamos todos entender por que é importante respeitar as diferenças"). Melhor que isso é abordar o tema de jeito natural, inserindo-o em práticas diárias, como brincadeiras, leitura e musica. "O convívio cotidiano é a forma mais eficaz de trabalhar comportamentos e atitudes", diz Daniela Alonso, psicopedagoga e selecionadora do Prêmio Victor Civita - Educador Nota 10 Metodologia PARA INTODUZIR O PROJETO SUGERI-SE; Levar todas as crianças ao pátio :fazer a dramatização do PATINHO FEIO ou A PEQUENA RAID são histórias essenciais que abrem uma gama de possibilidades para trabalhar a questão da diversidade.Após a apresentação explorar oralmente enfatizando bem a idéia central que e aprender a conviver bem com os outros mesmo quando apresenta alguma necessidade especial. EM ANEXO)Através dessa história pode-se trabalhar: • RESPEITO • FAMILIA • ADOÇÃO • .GRANDE/PEQUENO • .BONITO/FEIO • BELEZA INTERIOR Semelhanças e diferenças • Habitat,de que é coberto o corpo etc. • Artes • cores • Reproduzir a história através de desenho • Letra inicial da palavra ou vogais • Confecção do patinho com massa modelar CONTAGEM E ESCRITA DE NUMEROS CONFECÇAO DO LIVRO GIGANTE Crianças a partir de dois anos já se deliciam com as histórias e ilustrações do Livro Gigante. A leitura e releitura de textos, por puro prazer, a exploração das imagens e ilustrações, a dramatização de leituras, tudo isso são atividades que podem ser feitas pelos pais e cuidadores. Um livro feito para encantar! Livros gigantes são usados há muitos anos com um mesmo objetivo: encantar e seduzir as crianças. Depois do colo dos pais, não há estratégia melhor do que essa para formar bons leitores e despertar na criança o prazer da leitura. O formato - gigante - obriga adultos e crianças a se sentarem no chão e se deixarem seduzir pela magia dos textos e ilustrações Em situações escolares, os livros podem ser usados para crianças de 4 e 5anos, seguindo as orientações • Confecção do livro gigante onde a capa devera conter varias situações ex.:crianças negras,deficientes,magras,gordas,explorar bem etc. Antes de abrir a capa • Oportunize ao aluno refletir sobre a idéia de que uma pessoa não é igual a outra e que pode denominar-se ninguém é igual a ninguém. • Nesse livro gigante deverá ter textos escrito com letras grandes de preferência aqueles que serão trabalhados no decorrer do projeto,parlendas, musicas, poesias, contos etc • O professor deverar colocá-lo no chão para ler junto com a turma ex.:com o texto Diversidade. O texto IDENTIDADE(anexo) • Ler com a turma o texto completo; • Ler com a turma colocando o dedo sobre cada palavra. • Explorar rimas,letras (vogais ou alfabeto) • Em seguida passar um espelho para que as crianças possam dizer como elas são fisicamente e como reage aos sentimentos você (professor) poderá contribuir fazendo perguntas que levem os alunos a refletir e a criar outras perguntas.Tais como: • Ah!você é magrela,é nervoso? • Quando é que você fica nervoso? • Porque você se considera uma pessoa nervosa? • Ser nervoso é bom?porquê? Após a leitura compreensão e exploração do texto,o professor deve. • Propor que os alunos fechem os olhos e imaginem e desenhe as pessoas do texto. Fazer rostos para eles identificar se estão tristes, alegres ,bravos levandos a dizer como estão se sentindo naquele dia. • Convidar as crianças que representem pessoas com raiva,com medo,pessoas felizes,a imitarem professores e funcionários da escola. • Propor a realização de um teatrinho,usando como personagens as pessoas imitadas dramatização. • Trabalhando com o corpo, • Para explorar bem a própria imagem e identificar-se como é o professor deve: • Propor as crianças que se observem umas as outras e que quantifiquem: • Quantos tem cabelo liso?Crespo? • Qual tipo de cabelo ?Que prevalece a turma? • Quantos tem cabelos loiros? • Ruivo?Preto? • Quantos tem olhos pretos? • Trabalhar o auto-retrato • Construir um gráfico que represente as cores do cabelo e da pele. • Conversar com as crianças sobre as características do corpo de cada pessoa e que podemos com o nosso corpo,realizar inúmeras atividades,incentivando-as a emitirem opiniões e respeito: • Como trabalhar um conto: • 1)passo: • Um saco mágico será entregue ( dentro deverá ter algo relacionado a história que será contada ) • O saco passara de mão em mão para que as crianças descubram o seu conteúdo,sem que possa abrir o saco,só apalpando.A medida que a criança o receber da sua opinião. • Caso as crianças não descubram a professora dá pista. • Após as pistas,apresentar o livro • Hoje eu trouxe uma história que fala de......(explorar o que existe na história) • Que vocês acham que vai acontecer nessa história? etc. • Desenho da história escrevendo o nome da personagem principal e a parte que você mais gostou da história. • Jogo dos setes erros (livro Baú do professor p/167-volume 3) • Trabalhar matemática (169-volume 3 Baú do professor) • História de João Jiló (mensagem e valores que a história passa). • Obediência,amor a natureza,respeito aos animais.(Baú do professor volume-04,pág -226,227,228). • Atividade - pág -235,236,237 (Trabalhar matemática sugestão - álbum das aves-238) livro Baú do professor volume 4. • Trabalhar a historia O JELHO DE JUVENAL preparar a turma em circulo para ouvir a historia em seguida falar dos cuidados que devemos ter com o nosso corpo: • Explorar. • Partes do corpo • Expandir para o conhecimento concreto de seus corpos por meio do tato, para sentir como são seus ossos e movimentos • Criar brincadeiras e exercícios para observar e explorar seu corpo (através de uma bola)para desenvolver suas habilidades psicomotoras.ex colocar a bola . • Na cabeça ,nas costas, no pé, etc. • Fazer ilustração da história • Atividade com as partes do corpo. • Trabalhar a musica OMBRO JOELHO E PÉ, Ai bota aqui o seu pezinho, entre outras que possibilite trabalhar com o corpo Cantar com as crianças gesticulando incentivando-as a descobrirem e diferenciar as partes do corpo Tra balhando com o corpo utilizando jornais e revistas. • Entregar para as crianças figuras de pessoas e dando as seguintes instruções: • Quero que você corte as pernas, agora os braços. Agora a cabeça .terminando propor que as crianças tentem montar a pessoa colocando as partes no seu devido lugar. • Mural do corpo • Escolher um aluno ou aluna para servir de modelo • Deitado sobre a folha o professor ou colega faz o contorno. Depois será acrescentado olhos , roupa cabelos etc. • Afixar no mural do corpo os nomes das partes do corpo. • Quebra cabeça do corpo: • Fazer um modelo de uma pessoa em seguida recortar cada parte • Dividir a turma em dois grupos ,vai chamando um década grupo ,para montar que conseguir montar certo e primeiro será o vencedor. • Atividade(pág 12 dia dia vol 1) • Trabalhando com parlenda LÁ EM CIMA DO PIANO • Falar dos cuidados que devemos ter com o nosso corpo na questão de não ingerirmos qualquer coisa ex excesso de medicamentos,prestar atenção nos símbolos que existe nos vidros como (perigo) • Mostra que para termos um corpo saudável precisamos de frutas legume s e verduras. E não de refrigerantes, bolachas recheadas. Mostrar também os perigos que os mesmos podemtrazer para o nosso corpo se ingerirmos exageradamente. • Trabalhar a palavra piano ,letra inicial, números de letras, vogais, nome de alunos que sejam escrito com a letra p etc • Reescreva a parlenda trocando LÁ EM CIMA , POR LÁ EM BAIXO ,L´ATRAS ETC • Favorecer o espírito de equipe e trabalhar contagem numérica através da parlenda dos alimentos (um, dois feijão com arroz) • Iniciar falando da importância dos alimentos e questionando : • Quem gosta de feijão? E de arroz?qual csua comida preferida?o que você não gosta de comer? • Em seguida apresentar a parlenda escrita em letra bastão grande para que seja bem visualizada por todas as crianças se possível coloca-la no chão para ser lida por todas é claro com ajuda do professor.sugestao pode ser uma das paginas do livro gigante • Explorar • Quantas comidas aparecem na parlenda • Quais os números da parlenda, • Mostrar partes do corpo que tem quantidades iguais a parlenda(dedos das mãos e dos pés) • Fazer um cartaz onde todos deixem sua marquinha com tinta ea mão • Escolher um dos números para ser trabalhado neste dia(05 ou 10) • Trabalhar também com a historia da menina bonita do laço de fita ANTES de apresentar o livro, iniciará a aula com uma conversa informal perguntando: Com quem a gente se parece? Todas as pessoas são iguais? Mostrar a capa do livro “Menina bonita do laço de fita” e perguntar: Quem será essa menina? Como ela é? Quais as suas características? Como ela parece estar se sentindo? Após explorar a capa do livro e ouvir o que as crianças tem a dizer a respeito das perguntas, fazer a leitura do livro, primeiro silenciosamrnte pelos alunos, depois em voz alta pela professora. Momento 2 Trabalhar oralmente as características físicas da menina, associando às comparações do texto. Em seguida, realizar a interpretação do livro: Qual era a cor da pele da menina? Parecia com o que? Quem se lembra? E o seu cabelo? O que sua mãe fazia nele? Seus olhos se pareciam com o que? Como era o coelho? O que ele descobriu? Qual a conclusão que o coelho chegou sobre a cor da pele da menina? Por que os filhotes do coelho nasceram um de cada cor? Deixar claro que cada um de nós tem suas características, oriundas de sua família. Sendo assim, somos únicos, diferentes, e isso torna cada um de nós especial. Momento 3 Recolher as fotos trazidas pelos alunos e colar em grande cartaz dizendo: Diferenças: não basta reconhecê-las é preciso valorizá-las. A professora deve pedir que olhem o cartaz com as fotos e procurem em seus parentes alguma característica parecida com a sua. Havendo alguma foto ou criança negra na sala, a professora poderá ressaltá-la, dizendo das semelhanças com a menina da história. Momento 4: Para esse momento a professora deverá xerocar a ilustração abaixo e entregar as 3 imagens recortadas e embaralhadas para cada criança (1 cópia para cada um) I Pedir para as crianças colarem na ordem (em uma folha ofício A4) as tentativas do coelho para conseguir ficar da cor da menina. : Promover a semana do livro, chá literário, confecção do livro gigante, livro viajante,onde cada criança levará para casa livros para que sejam lidos pelos pais,culminância na praça baú com diversidades de livros, dramatizações, etc Dica: você pode fazer um livro , cada página a criança irá desenhar um tipo de mãe,mãe lua, mãe chaleira... PROJETO: DIA DAS MÃES TEMA: PARABÉNS MAMÃE!!! DURAÇÃO: 2 SEMANAS. JUSTIFICATIVA: O tema Dia das Mães realmente é maravilhoso para se trabalhar, não há aquela criança que não fique empolgada quando fala da mamãe. Porém não podemos nos esquecer que entre nossos alunos sempre tem um ou outro que não mora com a mãe, sendo responsabilidade da avó ou da tia, ou até mesmo de outras pessoas. Cabe a nós motivarmos nossas crianças e lhes mostrar motivos para participarem do projeto. OBJETIVO: Sensibilizar os alunos sobre a importância de comemorarmos o dia das mães. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: • Reconhecer a importância da figura da mãe no desenvolvimento do caráter humano; • Proporcionar momentos de reflexão sobre os diversos contextos familiares; • Proporcionar condições para que os alunos tenham um pouco de conhecimento sobre a cidade em que vivem; • Promover e estimular a linguagem oral; • Estabelecer e ampliar as relações sociais; • Estimular a afetividade entre as crianças a as mães; • Conhecer e identificar diversas profissões; • Desenvolver atenção e a criatividade; • Praticar a coordenação motora fina e ampla; • Desenvolver a expressão corporal; • Brincar expressando emoções, sentimentos, pensamento, desejos e necessidades; Desenvolver a leitura através da visualização de figuras. Data CONTEÚDOS: comemorativa – dia das mães, dia do trabalho; • Motricidade fina e ampla; • Expressões gráficas: desenho, pintura, montagem, colagem, noção de limite na folha; • Expressão corporal; • Historinhas; . Criatividade, imaginação e dramatização. . Música e ritmo; . Socialização; METODOLOGIA: . Conversa informal sobre o Dia das Mães, Profissões • Músicas: “Bate meu coraçãozinho”, “Mãezinha do céu”, • Confecção de cartazes: “As profissões”, “Momentos com a mamãe”; “Montagem de uma boneca que representará a mãe”;NEGRA , MORENA BRANCA etc • Construção do livrinho de receita, do cartão pra mamãe; • Confecção do porta-jóias de garrafa pet; • Grafismo (atividade: ligar os objetos a mamãe); • Colagem: (recortes e colagem de figuras de revistas); • Pintura com lápis de cor, giz de cera e tinta têmpera; • Ensaios de músicas e teatrinho para a apresentação; • Momento flash: uma foto para mamãe. • Dinâmicas com as mães no dia da festa; • Homenagem as mãe: apresentação das turma Era uma vez uma meninlinda, linda.Os olhos pareciam duas azeitonas pretas brilhantes, os cabelos enroladin hos e bem negros.Apele era escura e lustrosa, que nem o pelo da pantera negra na chuva.Ainda por cima, a mãe gostava de fazer trancinhas no cabelo dela e enfeitar com laços de fita coloridas. Ela ficava parecendo uma princesa das terras da áfrica, ou uma fada do Reino do Luar.E, havia um coelho bem branquinho, com olhos vermelhos e focinho nervoso sempre tremelicando. O coelho achava a menina a pessoa mais linda que ele tinha visto na vida.E pensava:- Ah, quando eu casar quero ter uma filha pretinha e linda que nem ela...Por isso, um dia ele foi até a casa da menina e perguntou:- Menina bonita do laço de fita, qual é o teu segredo para ser tão pretinha?A menina não sabia, mas inventou:¬- Ah deve ser porque eu caí na tinta preta quando era pequenina...O coelho saiu dali, procurou uma lata de tinta preta e tomou banho nela. Ficou bem negro, todo contente. Mas aí veio uma chuva e lavou todo aquele pretume, ele ficou branco outra vez.Então ele voltou lá na casa da menina e perguntou outra vez:- Menina bonita do laço de fita, qual é o seu segredo para ser tão pretinha?A menina não sabia, mas inventou:- Ah, deve ser porque eu tomei muito café quando era pequenina.O coelho saiu dali e tomou tanto café que perdeu o sono e passou a noite toda fazendo xixi. Mas não ficou nada preto.- Menina bonita do laço de fita, qual o teu segredo para ser tão pretinha?A menina não sabia, mas inventou:¬- Ah, deve ser porque eu comi muita jabuticaba quando era pequenina.O coelho saiu dali e se empanturrou de jabuticaba até ficar pesadão, sem conseguir sair do lugar. O máximo que conseguiu foi fazer muito cocozinho preto e redondo feito jabuticaba. Mas não ficou nada preto.Então ele voltou lá na casa da menina e perguntou outra vez:- Menina bonita do laço de fita, qual é teu segredo pra ser tão pretinha?A menina não sabia e... Já ia inventando outra coisa, uma história de feijoada, quando a mãe dela que era uma mulata linda e risonha, resolveu se meter e disse:- Artes de uma avó preta que ela tinha...Aí o coelho, que era bobinho, mas nem tanto, viu que a mãe da menina devia estar mesmo dizendo a verdade, porque a gente se parece sempre é com os pais, os tios, os avós e até com os parentes tortos.E se ele queria ter uma filha pretinha e linda que nem a menina, tinha era que procurar uma coelha preta para casar.Não precisou procurar muito. Logo encontrou uma coelhinha escura como a noite, que achava aquele coelho branco uma graça.Foram namorando, casando e tiveram uma ninhada de filhotes, que coelho quando desanda a ter filhote não para mais! Tinha coelhos de todas as cores: branco, branco malhado de preto, preto malhado de branco e até uma coelha bem pretinha. Já se sabe, afilhada da tal menina bonita que morava na casa ao lado.E quando a coelhinha saía de laço colorido no pescoço sempre encontrava alguém que perguntava: - Coelha bonita do laço de fita, qual é o teu segredo para ser tão pretinha?E ela respondia: - Conselhos da mãe da minha madrinha... O PATINHO BONITO Numa bela manhã, em que o sol acabara de nascer, uma patinha roliça dava à luz cinco belos patinhos amarelinhos. Era tão lindo ver aqueles patinhos a sair da casca!... Todos eram iguais, mas havia um muito especial, era diferente de todos os outros, na verdade era o mais bonito. Este era branco como a mãe e tinha uns belos olhos azuis, claros e fofos. Aos poucos e poucos, os patos foram crescendo e aprendendo a nadar, nadavam muito bem, mas o que nadava melhor era o patinho branco. Quando chegou a hora de procurar alimento, os cinco patinhos cheios de fome procuraram-no entre as ervas do campo. Todos arranjaram mas o tal patinho que nascera primeiro conseguira maior quantidade! Todos ficaram espantados e sentiam inveja do irmão que fazia tudo, tudo melhor do que eles!... Um dia, fartos do irmão, decidiram pregar-lhe uma valente partida! Quando estivesse a nadar afogá-lo-iam sem dó nem piedade! A mãe não reparara porque estava muito ocupada a fazer o ninho. Será que o patinho se tinha safado?!... Por sorte não se afogara, pois nadara muito bem debaixo de água. A paisagem era bonita mas tinha de voltar para terra.



JUSTIFICATIVA

        As escolas brasileiras têm hoje o dever de planejar e colocar em execução um currículo que promova a educação na e para a diversidade. A inclusão escolar tem sido um tema bastante atual.  Crianças que antes eram  excluídas  da escola regular e colocadas  em instituições  para deficientes agora tem o direito garantido por lei , á educação e de freqüentar a  mesma escola das crianças ditas normais, Sendo assim,tal como a sociedade,uma classe de Educação Infantil é um espaço social formado por pessoas:Professores e crianças diferentes umas das outras,por razões diversas,como nacionalidade, pertencimerito étnico-racional,condição social,gênero e expectativas,também diferentes. .
         Pensando assim optamos por trabalhar com o projeto, cujo tema é:Acriança e o lúdico:”Um jeitinho  de aprender respeitando as  diferenças”.Que tem como objetivo geral criar situações através do aspecto lúdico que facilitem a conscientização dos alunos sobre a importância de refletir sobre a diversidade,promovendo o convívio adequado entre os mesmos.
      A escola deve ser capaz de atender os alunos em suas especificidades e singularidades e isso é valido para todos, não só para os que possuem algum déficit .É papel  dela  encontrar

caminho para atender   a diversidade,engajando as crianças no mundo das diferenças,preparando-os para ser legítimos cidadãos.Na sala há alunos que são portadores de necessidades especiais e de diversas culturas que exige do professor um olhar diferenciado para seu planejamento,bem como para o currículo escolar,através de atividades desenvolvidas em sala de aula.
     É importante ressaltar que inclusão não significa tratar a todos como iguais,anulando as diferenças.A diversidade é um elemento extremamente enriquecedor para a aprendizagem.Os alunos devem,portanto,perceber,identificar e saber lidar com as diferenças.Sabe-se que,brincar é um direito da criança e que é brincando que ela aprende a lidar com o mundo,além de formar sua personalidade. O ato de brincar é uma atividade,espontânea e natural da criança e é benefícios por estar centrado no prazer. Já está provado que as manifestações lúdicas desempenham funções muito importante no desenvolvimento das crianças. Além disso,elas podem ser utilizadas como importante instrumento didático.
      A partir deste contexto,resolvemos trabalhar com esse   projeto que será desenvolvi qual será  destinado  a crianças , na faixa  etária de 04 a 06 anos   






   OBJETIVO     GERAL

   Criar situações  através do lúdico que facilitem,a conscientização dos alunos sobre a importância de refletir sobre a diversidade entre os mesmos

Criar condições para que as crianças observem, analise e reflita sobre as características (semelhanças e diferenças) dos seres humanos.

Específicos:


     Perceber as características físicas que fazem parte de sua pessoa,identificando a parte que mais lhe agrada.
Integrar-se e conviver fraternalmente com todos em sala de aula e fora dela,respeitando as diferentes


  
• Conscientizar a todos na escola dos valores que cada um tem perante a sociedade.
Incentivar os conhecimentos de cada cultura     
• Respeitar as etnias e desigualdades sociais.aprendizagem:
• Vivenciar momentos de prática no conhecimento das diferentes culturas na escola.
• Praticar o aprendizado de formas diferentes mais concretas dentro de atitudes através de diversos recursos lúdicos.
• Criar um esquema onde todo o conteúdo do projeto seja interdisciplinar e posto em prática nas mais qualificadas aulas.
• Vivenciar juntos a equipe e colegas o tema trabalhado, sempre sugerindo, participando e originalizando suas  idéias
 

 


Preconceitos, rótulos, discriminação. É inevitável: desde muito cedo, os pequenos entram em contato com esses discursos negativos. Para que eles saibam lidar com a diferença com sensibilidade e equilíbrio, é preciso que tenham familiaridade com a diversidade - e não apenas em projetos com duração definida ou em datas comemorativas, como ainda é habitual em vários lugares. Outra recomendação importante é que a questão não seja tratada como um conteúdo específico (o que invalida propostas do tipo "bom, turminha, agora vamos todos entender por que é importante respeitar as dife      Melhor que isso é abordar o tema de jeito natural, inserindo-o em práticas diárias, como brincadeiras, leitura e  musica. "O convívio cotidiano é a forma mais eficaz de trabalhar comportamentos e atitudes", diz Daniela Alonso, psicopedagoga e selecionadora do Prêmio Victor Civita - Educador Nota 10
Metodologia
Responda :





PARA INTODUZIR    O  PROJETO  SUGERI-SE;
Levar todas as crianças ao pátio :fazer a dramatização do PATINHO FEIO ou A PEQUENA RAID são histórias essenciais que abrem uma gama de possibilidades para trabalhar a questão  da diversidade.Após a apresentação explorar oralmente enfatizando bem a idéia central que   e aprender a conviver bem com os outros mesmo quando apresenta alguma necessidade especial. EM ANEXO)Através dessa história pode-se trabalhar:                                                                                                                                            

·         RESPEITO
·         FAMILIA
·         ADOÇÃO
·         .GRANDE/PEQUENO
·         .BONITO/FEIO
·         BELEZA INTERIOR


Semelhanças e diferenças
·         Habitat,de que é coberto o corpo etc.
·         Artes
·         cores
·         Reproduzir a história através de desenho
·         Letra inicial da palavra  ou vogais 
·         Confecção do patinho com massa modelar
      CONTAGEM  E ESCRITA DE NUMEROS



 confecçao do livro gigante
Crianças a partir de dois anos já se deliciam com as histórias e ilustrações do Livro Gigante. A leitura e releitura de textos, por puro prazer, a exploração das imagens e ilustrações, a dramatização de leituras, tudo isso são atividades que podem ser feitas pelos pais e cuidadores.
Um livro feito para encantar! Livros gigantes são usados há muitos anos com um mesmo objetivo: encantar e seduzir as crianças.  Depois do colo dos pais, não há estratégia melhor do que essa para formar bons leitores e despertar na criança o prazer da leitura. O formato - gigante - obriga adultos e crianças a se sentarem no chão e se deixarem seduzir pela magia dos textos e ilustrações Em situações escolares, os livros podem ser usados para crianças de 4 e 5anos, seguindo as orientações

·        Confecção do livro gigante onde a capa devera conter varias situações ex.:crianças negras,deficientes,magras,gordas,explorar bem etc.
Antes de abrir a capa
·        Oportunize ao aluno refletir sobre a idéia de que uma pessoa não é igual a outra e que pode denominar-se ninguém é igual a ninguém.
·        Nesse livro gigante deverá ter textos escrito com letras grandes de  preferência aqueles que serão trabalhados no decorrer do projeto,parlendas, musicas, poesias, contos etc                    
·        O professor deverar colocá-lo no chão para ler junto com a turma ex.:com o texto Diversidade. O texto  IDENTIDADE(anexo)
·        Ler com a turma o texto completo;
·        Ler com a turma colocando o dedo sobre cada palavra.
·        Explorar rimas,letras (vogais ou alfabeto)
·        Em seguida passar um espelho para que as crianças possam dizer como elas são fisicamente e como reage aos sentimentos você (professor) poderá contribuir fazendo perguntas que levem os alunos a refletir e a criar outras perguntas.Tais como:
·        Ah!você é magrela,é nervoso?
·        Quando é que você fica nervoso?
·        Porque você se considera uma pessoa nervosa?
·        Ser nervoso é bom?porquê?
Após a leitura compreensão e exploração do texto,o professor deve.
·        Propor que os alunos fechem os olhos e imaginem e desenhe as pessoas do texto.

Fazer  rostos para eles identificar   se estão tristes, alegres ,bravos  levandos  a  dizer  como estão se sentindo naquele dia.
·        Convidar as crianças que representem pessoas com raiva,com medo,pessoas felizes,a imitarem professores e funcionários da escola.
·        Propor a realização de um teatrinho,usando como personagens as pessoas imitadas dramatização.
·        Trabalhando com o corpo,
·        Para explorar bem a própria imagem e identificar-se como é o professor deve:
·        Propor as crianças que se observem umas as outras e que quantifiquem:
·        Quantos tem cabelo liso?Crespo?
·        Qual tipo de cabelo ?Que prevalece a turma?
·        Quantos tem cabelos loiros?
  • Ruivo?Preto?
  • Quantos tem olhos pretos?
  • Trabalhar o auto-retrato
  • Construir um gráfico que represente as cores do cabelo e da pele.
  • Conversar com as crianças sobre as características do corpo de cada pessoa e que podemos com o nosso corpo,realizar inúmeras atividades,incentivando-as a emitirem opiniões e respeito:
  • Como trabalhar um conto:
  •  
1)passo:
·         Um saco mágico será entregue ( dentro deverá ter algo relacionado a história que será contada )
·         O saco passara de mão em mão para que as crianças descubram o seu conteúdo,sem que possa abrir o saco,só apalpando.A medida que a criança o receber da sua opinião.
·         Caso as crianças não descubram a professora dá pista.
·         Após as pistas,apresentar o livro
·         Hoje eu trouxe uma história que fala de......(explorar o que existe na história)
·         Que vocês acham que vai acontecer nessa história? etc.
·         Desenho da história escrevendo o nome da personagem principal e a parte que você mais gostou da história.
·         Jogo dos setes erros (livro Baú do professor p/167-volume 3)
·         Trabalhar matemática (169-volume 3 Baú do professor)
·         História de João Jiló (mensagem e valores que a história passa).
·         Obediência,amor a natureza,respeito aos animais.(Baú do professor volume-04,pág -226,227,228).
·         Atividade - pág -235,236,237 (Trabalhar matemática sugestão - álbum das aves-238) livro Baú do professor volume 4.
·         Trabalhar a historia O JELHO DE JUVENAL preparar a turma em circulo para ouvir a historia em seguida falar dos cuidados que devemos ter com o nosso corpo:
·         Explorar.
·         Partes do corpo
·         Expandir para o conhecimento concreto de seus corpos  por meio do tato, para sentir como são seus ossos e movimentos
·         Criar brincadeiras e exercícios para observar e explorar seu corpo (através de uma bola)para desenvolver suas habilidades psicomotoras.ex colocar a bola .
·         Na cabeça ,nas costas, no pé, etc.
·         Fazer ilustração da história
·         Atividade  com as partes do corpo.
·         Trabalhar a musica OMBRO JOELHO E PÉ, Ai bota aqui o seu pezinho,  entre outras que possibilite  trabalhar  com o  corpo
Cantar com as crianças  gesticulando incentivando-as a descobrirem  e diferenciar as partes do corpo
 Tra balhando com o corpo utilizando jornais e revistas.

·         Entregar para as crianças figuras de pessoas e dando as  seguintes instruções:
·         Quero que você corte as pernas, agora os braços. Agora a  cabeça .terminando propor que as crianças tentem montar a pessoa colocando as partes no seu devido lugar.
·          Mural do corpo
·         Escolher um aluno ou aluna para servir de modelo
·         Deitado sobre a folha o professor ou colega faz o contorno. Depois será   acrescentado olhos , roupa cabelos etc.
·         Afixar no mural do corpo os nomes das partes do corpo.
·         Quebra cabeça do corpo:
·         Fazer um modelo de uma pessoa em seguida  recortar cada parte
·         Dividir a turma em dois grupos ,vai chamando um década grupo ,para montar que conseguir montar certo e primeiro será o vencedor.
·         Atividade(pág 12 dia dia vol 1)
·         Trabalhando com parlenda LÁ EM CIMA DO PIANO
·         Falar dos cuidados que devemos ter com o nosso corpo na questão de não ingerirmos qualquer coisa ex excesso de medicamentos,prestar atenção nos símbolos que existe nos vidros como (perigo)
·         Mostra que para termos um corpo saudável precisamos de frutas legume s e verduras. E não de refrigerantes, bolachas recheadas. Mostrar também os perigos que os mesmos podemtrazer para o nosso corpo se ingerirmos  exageradamente.
·         Trabalhar a palavra piano ,letra inicial, números de letras, vogais, nome de alunos que sejam escrito com a letra p etc 
·         Reescreva a parlenda  trocando LÁ EM CIMA , POR LÁ  EM BAIXO ,L´ATRAS ETC  
·         Favorecer o espírito de equipe e trabalhar contagem numérica  através da parlenda  dos alimentos (um, dois feijão com arroz)
·         Iniciar falando da importância dos alimentos e questionando :
·         Quem gosta de feijão? E de arroz?qual csua comida preferida?o que você não gosta de comer?
·         Em seguida apresentar a parlenda escrita em letra bastão grande para que seja bem visualizada por todas as crianças se possível coloca-la no chão para ser lida por todas é claro com ajuda do professor.sugestao pode ser uma das paginas do livro gigante
·         Explorar
·         Quantas comidas aparecem na parlenda
·         Quais os números da parlenda,
·         Mostrar partes do corpo que tem quantidades iguais a  parlenda(dedos das mãos e dos pés)
·         Fazer  um cartaz onde todos deixem sua marquinha com tinta ea mão
·         Escolher um dos números para ser trabalhado neste dia(05 ou 10)
·         Trabalhar também com a historia da menina bonita do laço de fita
       ANTES de apresentar o livro, iniciará a aula com uma conversa informal perguntando:
Com quem a gente se parece?
 Todas as pessoas são iguais? 
Mostrar a capa do livro “Menina bonita do laço de fita” e perguntar:
Quem será essa menina?
Como ela é?
Quais as suas características?
Como ela parece estar se sentindo?
Após explorar a capa do livro e ouvir o que as crianças tem a dizer a respeito das perguntas, fazer a leitura do livro, primeiro silenciosamrnte pelos alunos, depois em voz alta pela professora.
Momento 2
Trabalhar oralmente as características físicas da menina, associando às comparações do texto.
Em seguida, realizar a interpretação do livro:
Qual era a cor da pele da menina? Parecia com o que? Quem se lembra?
E o seu cabelo? O que sua mãe fazia nele?
Seus olhos se pareciam com o que?
Como era o coelho?
O que ele descobriu?
Qual a conclusão que o coelho chegou sobre a cor da pele da menina?
Por que os filhotes do coelho nasceram um de cada cor?
Deixar claro que cada um de nós tem suas características, oriundas de sua família. Sendo assim, somos únicos, diferentes, e isso torna cada um de nós especial.
Momento 3
Recolher as fotos trazidas pelos alunos e colar em grande cartaz dizendo:
Diferenças: não basta reconhecê-las é preciso valorizá-las.
A professora deve pedir que olhem o cartaz com as fotos e procurem em seus parentes alguma característica parecida com a sua. Havendo alguma foto ou criança negra na sala, a professora poderá ressaltá-la, dizendo das semelhanças com a menina da história.
Momento 4:
Para esse momento a professora deverá xerocar a ilustração abaixo e entregar as 3 imagens recortadas e embaralhadas para cada criança (1 cópia para cada um)
undefined
I Pedir para as crianças colarem na ordem (em uma folha ofício A4) as tentativas do coelho para conseguir ficar da cor da menina. :
 Promover a semana do livro, chá literário, confecção do livro gigante, livro viajante,onde cada criança levará  para casa livros para que sejam lidos  pelos pais,culminância na praça baú com diversidades de livros, dramatizações, etc


Dica: você pode fazer um livro , cada página a criança irá desenhar um tipo de mãe,mãe lua, mãe chaleira...

PROJETO: DIA DAS MÃES

TEMA: PARABÉNS MAMÃE!!!

DURAÇÃO: 2 SEMANAS.

JUSTIFICATIVA: O tema Dia das Mães realmente é maravilhoso para se trabalhar, não há aquela criança que não fique empolgada quando fala da mamãe. Porém não podemos nos esquecer que entre nossos alunos sempre tem um ou outro que não mora com a mãe, sendo responsabilidade da avó ou da tia, ou até mesmo de outras pessoas. Cabe a nós motivarmos nossas crianças e lhes mostrar motivos para participarem do projeto.

OBJETIVO: Sensibilizar os alunos sobre a importância de comemorarmos
o dia das mães.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
· Reconhecer a importância da figura da mãe no desenvolvimento do caráter humano;
· Proporcionar momentos de reflexão sobre os diversos contextos familiares;
· Proporcionar condições para que os alunos tenham um pouco de conhecimento sobre a cidade em que vivem;
· Promover e estimular a linguagem oral;
· Estabelecer e ampliar as relações sociais;
· Estimular a afetividade entre as crianças a as mães;
· Conhecer e identificar diversas profissões;
· Desenvolver atenção e a criatividade;
· Praticar a coordenação motora fina e ampla;
· Desenvolver a expressão corporal;
· Brincar expressando emoções, sentimentos, pensamento, desejos e necessidades;
Desenvolver a leitura através da visualização de figuras.

Data CONTEÚDOS:
comemorativa – dia das mães, dia do trabalho;
· Motricidade fina e ampla;
· Expressões gráficas: desenho, pintura, montagem, colagem, noção de limite na folha;
· Expressão corporal;
· Historinhas;
. Criatividade, imaginação e dramatização.
. Música e ritmo;
. Socialização;

METODOLOGIA:
. Conversa informal sobre o Dia das Mães, Profissões
· Músicas: “Bate meu coraçãozinho”, “Mãezinha do céu”,
· Confecção de cartazes: “As profissões”, “Momentos com a mamãe”; “Montagem de uma boneca que representará a mãe”;NEGRA , MORENA  BRANCA etc
· Construção do livrinho de receita, do cartão pra mamãe;
· Confecção do porta-jóias de garrafa pet;

· Grafismo (atividade: ligar os objetos a mamãe);
· Colagem: (recortes e colagem de figuras de revistas);
· Pintura com lápis de cor, giz de cera e tinta têmpera;
· Ensaios de músicas e teatrinho para a apresentação;
· Momento flash: uma foto para mamãe.
· Dinâmicas com as mães no dia da festa;
· Homenagem as mãe: apresentação das turma

 

 

Era uma vez uma meninlinda, linda.Os olhos pareciam

 duas azeitonas pretas brilhantes, os cabelos enroladin

hos e bem negros.Apele era escura e lustrosa, que nem o pelo da pantera negra na chuva.Ainda por cima, a mãe gostava de fazer trancinhas no cabelo dela e enfeitar com laços de fita coloridas. Ela ficava parecendo uma princesa das terras da áfrica, ou uma fada do Reino do Luar.E, havia um coelho bem branquinho, com olhos vermelhos e focinho nervoso sempre tremelicando. O coelho achava a menina a pessoa mais linda que ele tinha visto na vida.E pensava:- Ah, quando eu casar quero ter uma filha pretinha e linda que nem ela...Por isso, um dia ele foi até a casa da menina e perguntou:- Menina bonita do laço de fita, qual é o teu segredo para ser tão pretinha?A menina não sabia, mas inventou:­- Ah deve ser porque eu caí na tinta preta quando era pequenina...O coelho saiu dali, procurou uma lata de tinta preta e tomou banho nela. Ficou bem negro, todo contente. Mas aí veio uma chuva e lavou todo aquele pretume, ele ficou branco outra vez.Então ele voltou lá na casa da menina e perguntou outra vez:- Menina bonita do laço de fita, qual é o seu segredo para ser tão pretinha?A menina não sabia, mas inventou:- Ah, deve ser porque eu tomei muito café quando era pequenina.O coelho saiu dali e tomou tanto café que perdeu o sono e passou a noite toda fazendo xixi. Mas não ficou nada preto.- Menina bonita do laço de fita, qual o teu segredo para ser tão pretinha?A menina não sabia, mas inventou:­- Ah, deve ser porque eu comi muita jabuticaba quando era pequenina.O coelho saiu dali e se empanturrou de jabuticaba até ficar pesadão, sem conseguir sair do lugar. O máximo que conseguiu foi fazer muito cocozinho preto e redondo feito jabuticaba. Mas não ficou nada preto.Então ele voltou lá na casa da menina e perguntou outra vez:- Menina bonita do laço de fita, qual é teu segredo pra ser tão pretinha?A menina não sabia e... Já ia inventando outra coisa, uma história de feijoada, quando a mãe dela que era uma mulata linda e risonha, resolveu se meter e disse:- Artes de uma avó preta que ela tinha...Aí o coelho, que era bobinho, mas nem tanto, viu que a mãe da menina devia estar mesmo dizendo a verdade, porque a gente se parece sempre é com os pais, os tios, os avós e até com os parentes tortos.E se ele queria ter uma filha pretinha e linda que nem a menina, tinha era que procurar uma coelha preta para casar.Não precisou procurar muito. Logo encontrou uma coelhinha escura como a noite, que achava aquele coelho branco uma graça.Foram namorando, casando e tiveram uma ninhada de filhotes, que coelho quando desanda a ter filhote não para mais! Tinha coelhos de todas as cores: branco, branco malhado de preto, preto malhado de branco e até uma coelha bem pretinha. Já se sabe, afilhada da tal menina bonita que morava na casa ao lado.E quando a coelhinha saía de laço colorido no pescoço sempre encontrava alguém que perguntava:
- Coelha bonita do laço de fita, qual é o teu segredo para ser tão pretinha?E ela respondia:
- Conselhos da mãe da minha madrinha...

O PATINHO BONITO
Numa bela manhã, em que o sol acabara de nascer, uma patinha roliça dava à luz cinco belos patinhos amarelinhos.
Era tão lindo ver aqueles patinhos a sair da casca!...
Todos eram iguais, mas havia um muito especial, era diferente de todos os outros, na verdade era o mais bonito.
Este era branco como a mãe e tinha uns belos olhos azuis, claros e fofos.
Aos poucos e poucos, os patos foram crescendo e aprendendo a nadar, nadavam muito bem, mas o que nadava melhor era o patinho branco.
Quando chegou a hora de procurar alimento, os cinco patinhos cheios de fome procuraram-no entre as ervas do campo.
Todos arranjaram mas o tal patinho que nascera primeiro conseguira maior quantidade!
Todos ficaram espantados e sentiam inveja do irmão que fazia tudo, tudo melhor do que eles!...
Um dia, fartos do irmão, decidiram pregar-lhe uma valente partida!
Quando estivesse a nadar afogá-lo-iam sem dó nem piedade!
A mãe não reparara porque estava muito ocupada a fazer o ninho.
Será que o patinho se tinha safado?!...
Por sorte não se afogara, pois nadara muito bem debaixo de água.
A paisagem era bonita mas tinha de voltar para terra.
Perto dali ficava o bosque!
Cheio de sede e faminto procurou um lugar para ficar.
Ao longe, avistou uma bela casa, aproximou-se e bateu à porta.
Ninguém atendeu, por isso resolveu entrar!
Mal entrara viu sete pequenos bancos à volta de uma mesa, sete copos, sete talheres, um armário, um fogão, uma taça de cereais…
Ao ver os cereais ficou deliciado, não resistiu e foi comê-los.
Meio ensonado, avançou e foi parar a um quarto, com sete pequenas camas e adormeceu.
Os anões, ao chegarem da cansativa caça ao tesouro, tiveram uma grande surpresa.
Viram que alguém tinha entrado em casa sem permissão.
O mais velho disse:
-Está alguém a invadir a nossa casa, vamos fazer alguma coisa.
-Oh, se calhar é a Branca de Neve!
-Não me parece que ela fosse capaz de comer uma taça de cereais!...
-Ai, estou exausto, vou descansar! – exclamou um deles – Meu Deus, o que é isto?
-É um pato, óbvio – retorquiram os outros.
-Vamos acordá-lo.
O pato assustou-se, acordou e desculpou-se:
-Desculpem entrar em vossa casa sem permissão, mas estava cheio de fome e com sono.
Eles compreenderam, já que lhes acontecera coisas assim na história da Branca de Neve.
Ficaram amigos e o patinho ficou a viver lá.
No dia seguinte, a Branca de Neve foi visitar os anões, viu que tinham visitas e foi cumprimentar o pato.
-Branca de Neve, o que vieste cá fazer? – exclamou um deles.
-Vim convidar-vos para o meu casamento e tive uma brilhante ideia.
-Porque é que o pato não é o menino das alianças?
Assim foi! Depois do casamento, o patinho ficou a viver no castelo de Branca de Neve e nunca mais teve problemas!



 O joelho de juvenal 

Era uma vez um joelho que se chamava Juvenal

Juvenal tinha um problema, coitado: vivia todo escalavrado.
Também, quem mandou o Juvenal ser o joelho de um menino levado?
Juvenal queria muito aprender língua de menino só pra dizer assim: “Menino, tem dó de mim!”
Mas, quando o esfolado sarava, Juvenal bem que gostava de correr e de saltar.
E ele se desdobrava e se dobrava outra vez todo alegre, pois sabia que, indo e vindo, fazia o menino feliz.
E ficava muito atento conversando com o pé (pois o pé e o joelho se falam).
– Cuidado aí, companheiro! Pode ser que no meio do caminho tenha uma pedra, tenha uma pedra no caminho...
... e aí você tropeça e quem vai sofrer sou eu.
Mas, não adiantava nada! O pé sempre tropeçava e lá ia o Juvenal outra vez pra enfermaria!
O Juvenal era muito religioso! Mas, tinha um probleminha com a Semana Santa (que vinha logo depois das férias).
Imaginem O Juvenal em que estado estava quando as férias acabavam!

Aí vinha a Semana Santa... E o Juvenal, coitado, todo cheio de esfolados, tendo tanto pra rezar!
Mesmo assim, o Juvenal gostava muito da vida, do vento ventando nele, quando o menino corria, todo feliz, pelo mundo.
E Juvenal adorava quando a água lhe batia até onde ele se achava para ver se a água dava pé.
Assim como o pé e a canela ele também pensava: “É o fino ser mergulhador submarino”.
Um dia, tudo ficou escuro para o Juvenal. E aí, ele descobriu que o menino tinha crescido.
E agora, em vez de short, calção ou calcinha curta, usava calça comprida.
Por isso, hoje, Juvenal tem um pedido a fazer aos fabricantes de calças.
Que tal criar um modelo de calça, sob medida, que tenha dois buraquinhos pro Juvenal ver a vida?!
 

  .

 Roteiro de Análise e Debates

 - Discuta com as crianças cada uma das palavras descritivas no texto a que se refere adjetivos e lugares.
- O patinho era rejeitado porque era feio ou porque era diferente?
- Qual é o conceito de feio.
- Qual é o conceito de diferente.
- Em que  consiste a verdadeira beleza?
Quando uma pessoa é inteiramente bela?
- Por que as pessoas valorizam mais a beleza física, que a beleza interior?
 - Como podemos classificar a atitude daqueles que rejeitaram o patinho?
- Por que a história foi denominada “Patinho feio” e não “Pato feio” ou “Pato diferente”?
- As pessoas quando crescem também se modificam a aparência e os seus atos?  
- O que é solidariedade?
 - - "Nunca sonhei com tanta felicidade quando era o patinho feio"
- O que é ser feliz?
 - O que é sentir vergonha?
- De que devemos sentir vergonha?
- Aproveitar e abrir discussões sobre a adoção de crianças no Brasil e ou sobre as crianças que vivem em orfanatos aguardando por uma adoção. Quais os motivos que (talvez) os levaram a essa situação?

O PATINHO FEIO


       De todos os filhotes da família de patos, somente o mais jovem parece estranho, deslocado e diferente. Antes do patinho feio nascer, a mãe¬pata estranha o tamanho do ovo. Não se parece com os outros do ninho e demora mais para chocar. Finalmente, o patinho feio consegue se livrar da casca e ficar exposto perante os demais. Ele parece estranho. Os outros nunca tinham visto um patinho semelhante. Acabam declarando:
-  "Oh, céus, como ele é feio! Não vamos aceitá-Io!",
A partir daí, o pobre patinho é obrigado a se refugiar no meio do ninho e daqueles que ele pensava ser a sua família..
Recuperado do susto, o pobre patinho procura o seu rumo.. Mas a única coisa que ele realmente deseja é nadar. Chegando à água, o patinho feio sente-se felicíssimo por poder nadar e mergulhar. Chega o outono, com os primeiros sinais do inverno. O patinho nem desconfia que se ficar muito tempo na água poderá congelar. Sua vida é salva pela bondade de um homem, que se apieda do patinho e corta o gelo que o aprisiona. O homem o leva para casa e lhe dá abrigo, mas o patinho se apavora com os filhos do homem e acaba fugindo.
O longo e duro inverno terminou. O sol começa a aquecê-lo com seus raios dourados e ele, novamente, pode nadar ao longo dos juncos. Só que, agora, ele está bem maior e os juncos lhe parecem pequenos. Consegue voar, e se alça bem acima dos pomares, deliciando-se com a paisagem lá embaixo. O patinho acaba percebendo que, durante esses longos meses, ele mudou. Ao invés de se manter afastado de umas belas aves que viu, pode agora unir-se a elas.

 Roteiro de Análise e Debates

 - Discuta com as crianças cada uma das palavras descritivas no texto a que se refere adjetivos e lugares.
- O patinho era rejeitado porque era feio ou porque era diferente?
- Qual é o conceito de feio.
- Qual é o conceito de diferente.
- Em que  consiste a verdadeira beleza?
Quando uma pessoa é inteiramente bela?
- Por que as pessoas valorizam mais a beleza física, que a beleza interior?
 - Como podemos classificar a atitude daqueles que rejeitaram o patinho?
- Por que a história foi denominada “Patinho feio” e não “Pato feio” ou “Pato diferente”?
- As pessoas quando crescem também se modificam a aparência e os seus atos?  
- O que é solidariedade?
 - - "Nunca sonhei com tanta felicidade quando era o patinho feio"
- O que é ser feliz?
 - O que é sentir vergonha?
- De que devemos sentir vergonha?
- Aproveitar e abrir discussões sobre a adoção de crianças no Brasil e ou sobre as crianças que vivem em orfanatos aguardando por uma adoção. Quais os motivos que (talvez) os levaram a essa situação?

 Atividades  com o nome
 :      com seu grupo, a ficha na qual será feita essa pesquisa. Combine o dia de entrega dessa lição. Diga aos alunos que podem pedir aos pais para ajudar a escrever na ficha os nomes.No dia da entrega, você deverá organizar seus alunos em pequenos grupos para que mostrem uns aos outros os nomes e sobrenomes de seus familiares. Eles podem observar:a) Se há nomes iguais.b) Se há sobrenomes iguais.c) Qual o nome com maior quantidade de letras.d) Qual o sobrenome com mais palavras.

DOMINÓ DE NOMES PRÓPRIOS
Objetivo: Identificar a escrita do nome próprio e dos colegas.
a) Em papel resistente de formato retangular, são escritos os nomes das crianças formando as peças do jogo.
b) As peças são embaralhadas e distribuídas igualmente entre os participantes
c) O primeiro jogador coloca uma peça sobre a mesa assim: DAVI PEDRO
d) O jogador seguinte deverá encontrar, entre sua peças, aquela que tenha um dos nomes.Veja:DAVI PEDRO PEDRO RAFAEL
e) Quando o jogador não tiver uma peça que se encaixe, passará sua vez para o outro.f) O vencedor será aquele que terminar sua peças em primeiro lugar.

O QUE FALTA EM CADA NOME ?
Quadricular a folha de papel e ecrever o nome da criança faltando alguma letra e pedir que ela a identifique.

CRACHÁS COM NOMES
Espalhar os crachás no meio da sala e pedir para que os alunos procurem qual é o seu;
Misturar os crachás no chão, para que separem os nomes dos meninos dos nomes das meninas;
Separar os crachás cujos nomes comecem com a mesma letra;
Separar os crachás que terminem com a mesma letra;
Separar os crachás cujos nomes rimem entre si;
Usar os crachás para formar grupos de trabalho (Sorteio, nomes q começam / terminam com a mesma letra, mesma quantidade de letras, mesma rima, etc...);
Usar os crachás para fazer a chamada diária;
Separar os crachás cujos nomes tenham o mesmo número de letras;
Colocar os nomes em ordem alfabética;
Contar a quantidade de vogais e consoantes do nome;
Observar se há repetição de letras;
Escrever novas palavras com as letras do nome;
Trabalhar com alfabeto móvel, para que cada aluno monte o seu nome e dos colegas;
À partir do nome escrito numa folha de papel:
*pedir para que a criança ilustre cada letra;
*dobre a folha ao meio e recorte acompanhando o contorno das letras...
*Inventar uma histórinha do bicho que deu no recorte do nome...
Montar um mural com os desenhos formados... e com o nome escrito pela criança!!!E a partir daí o professor pode criar muitos diversos tipos de brincadeiras e jogos xD

IDENTIFICANDO O SEU NOME
Na carteira do aluno deverá ter colado um papel escrito o seu nome, então entregar a ele um papel escrito o seu nome igual ao da carteira e pedir que ele a identifique..!

 
Objetivos
Estas atividades permitem às crianças as seguintes aprendizagens:
- Diferenciar letras e desenhos;
- Diferenciar letras e números;
- Diferenciar letras, umas das outras;
- A quantidade de letras usadas para escrever cada nome;
- Função da escrita dos nomes: para marcar trabalhos, identificar materiais, registrar a presença na sala de aula (função de memória da escrita) etc;
- Orientação da escrita: da esquerda para a direita;
- Que se escreve para resolver alguns problemas práticos;
- O nome das letras;
- Um amplo repertório de letras (a diversidade e a quantidade de nomes numa mesma sala);
- Habilidades grafo-motoras;
- Uma fonte de consulta para escrever outras palavras.

O nome próprio tem uma característica: é fixo, sempre igual. Uma vez aprendido, mesmo a criança com hipóteses não alfabéticas sobre a escrita não escreve seu próprio nome segundo suas suposições, mas, sim, respeitando as restrições do modelo apresentado. As atividades com os nomes próprios devem ser seqüenciadas para que possibilitem as aprendizagens mencionadas acima. Uma proposta significativa de alfabetização, aquela que visa formar leitores e escritores, e não mero decifradores do sistema, não pode pensar em atividades para nível 1, nível 2, nível 3...

É preciso considerar:
· Os conhecimentos prévios das crianças.
· O grau de habilidade no uso do sistema alfabético.
· As características concretas do grupo.
· As diferenças individuais.

Conteúdos
Leitura e escrita de nomes próprios

Tempo estimado 
Um mês

Materiais necessários
- Folhas de papel sulfite com os nomes das crianças da classe impressos
- Etiquetas de cartolina de 10cm x 6cm (para os crachás)
- Folhas de papel craft, cartolina ou sulfite A3

Organização da sala

Cada tipo de atividade exige uma determinada organização:

- Atividades de identificação das situações de uso dos nomes: trabalho com a sala toda.
- Identificação do próprio nome: individual.
- Identificação de outros nomes: sala toda ou pequenos grupos.

Desenvolvimento das atividades
1. Selecione situações em que se faz necessário escrever e ler nomes. Alguns exemplos: Escrever o nome de colegas para identificar papéis, cadernos, desenhos (pedir que as crianças distribuam tentando ler os nomes). Lista de chamada da classe. Ler cartões com nomes para saber em que lugar cada um deve sentar; para saber, quem são os ajudantes do dia, etc.

2. Peça a leitura e interpretação de nomes escritos.

3. Prepare oralmente a escrita: discuta com as crianças, se necessário, qual o nome a ser escrito dependendo da situação. Se for para identificar material da criança, use etiquetas; para lista de chamada use papel sulfite ou papel craft.

4. Seja bem claro nas recomendações: explicite o que deverá ser escrito, onde fazê-lo e como, que tipo de letra usar, etc

5. Peça a escrita dos nomes: com e sem modelo.


Objetivos
Ao final das atividades, a criança deve:

- Reconhecer as situações onde faz sentido utilizar nomes próprios: para etiquetar materiais, identificar pertences, registrar a presença em sala de aula (chamada), organizar listas de trabalho e brincadeiras, etc.
- Identificar a escrita do próprio nome.
- Escrever com e sem modelo o próprio nome.
- Ampliar o repertório de conhecimento de letras.
- Interpretar as escritas dos nomes dos colegas da turma.
- Utilizar o conhecimento sobre o próprio nome e o alheio para resolver outros problemas de escrita, tais como: quantas letras usar, quais letras, ordem da letras etc e interpretação de escritas.

Identificação de situações onde se faz necessário escrever e ler nomes. Aproveite todas as situações para problematizar a necessidade de escrever nomes.

Situação 1- Recolhendo material. Questione as crianças como se pode fazer para que se saiba a quem pertence cada material. Ouça as sugestões. Distribua etiquetas para as crianças e peça que cada uma escreva seu nome na sua presença. Chame atenção para as letras usadas, a direção da escrita, a quantidade de letras, etc.

Situação 2 - Construindo um crachá. Questione as crianças como os professores podem fazer para saber o nome de todas nos primeiros dias de atividade. Ajude-as a concluir sobre a função do uso de crachás. Distribua cartões com a escrita do nome de cada uma que deverá ser copiado nos crachás. Priorize neste momento a escrita com a letra de imprensa maiúscula (mais fácil de reprodução pela criança). Solicite o uso do crachá diariamente.

Situação 3 - Fazendo a chamada Lance para a classe o problema: como podemos fazer para não esquecer quem falta na aula?

Observações: todas essas situações e outras têm como objetivo que as crianças recorram à escrita dos nomes como solução para problemas práticos do cotidiano.

Identificação do próprio nome

Dê para cada criança um cartão com o nome dela.
- Apresente uma lista com todos os nomes da classe. Escreva todos os nomes com letra de imprensa maiúscula. Nesse tipo de escrita, é mais fácil para a criança identificar os limites da letra, o que também deixa a grafia menos complicada.
- Peça que localizem na lista da sala o próprio nome. O cartaz com essa lista pode ser grande e ser fixado em local visível.
- Peça para cada um montar o próprio nome, usando letras móveis (que podem ser adquiridas ou confeccionadas).
- Inicialmente realize esta atividade a partir de um modelo (crachá com o nome) e depois sem modelo, usando o modelo para conferir a escrita produzida. Identificação de outros nomes da classe

Apresente uma lista com os nomes das crianças da classe.

Cada criança poderá receber uma lista impressa ou colocar na classe uma lista grande confeccionada em papel craft. Você poderá, também, usar as duas listas: as individuais e a coletiva.

Atividade 1 - Ditado
Dite um nome da lista. Cada criança deverá encontrá-lo na lista que tem em mãos e circulá-lo. Em seguida, peça a uma criança que escreva aquele nome na lousa. Peça a elas que confiram se circularam o nome certo. Para que essa atividade seja possível a todas é importante fornecer algumas ajudas. Diga a letra inicial e final, por exemplo.

Atividade 2 - Fazendo a chamada
Entregue a lista de chamada das crianças da sala. Peça que as crianças digam os nomes das crianças ausentes e que circulem esses nomes. Siga as mesmas orientações da atividade 1 , no tocante às ajudas necessárias para a realização da tarefa.

Atividade 3 - Separando nomes de meninas e meninos
Apresente a lista da chamada da classe. Peça para as crianças separarem em duas colunas: nomes das meninas e nomes dos meninos.

Observação: em todas estas atividades é importante chamar a atenção para a ordem alfabética utilizada nas listas. Este conhecimento: nomeação das letras do alfabeto é importante para ajudar a criança a buscar a letra que necessita para escrever. Em geral as crianças chegam à escola sabendo "dizer" o alfabeto, ainda que não associando o nome da letra aos seus traçados. Aproveite esse conhecimento para que possam fazer a relação entre o nome da letra e o respectivo traçado.

Avaliação
É importante observar e registrar os avanços das crianças na aquisição do próprio nome e no reconhecimento dos outros nomes. Tratando-se de uma informação social - a escrita dos nomes -, é preciso observar se as crianças fazem uso dessa informação para escrever outras palavras. A escrita dos nomes é uma informação social, porque é uma aprendizagem não escolar. Dependendo da classe social de origem da criança, ele já entra na escola com este conhecimento: como se escreve o próprio nome e quais as situações sociais em que se usa a escrita do nome. Para crianças que não tiveram acesso a essa informação a escola deve cumprir esse papel.


Sugerimos uma planilha de observação de nove colunas, contendo os seguintes campos:

1. Nome da criança
2. Escreve sem modelo?
3. Usa grafias convencionais?
4. Utiliza a ordem das letras?
5. Conhece os nomes das letras?
6. Reconhece outros nomes da classe?
7. Escreve outros nomes sem modelo?
8. Utiliza as letras convencio-nais na escrita dos nomes?
9. Utiliza o conhecimento sobre os nomes para escrever outras palavras?

Observação: A partir do registro na planilha acima é possível ter uma visão das necessidades de investimento com cada criança e também das necessidades coletivas de trabalho com a classe.

Atividades complementares
- Pesquisa sobre a origem do nome (pesquisa com os familiares)
- Análise de fotos antigas e atuais da criança.
- Montagem de uma linha do tempo da criança a partir das fotos trazid

   


 
 muitas  dessas sugestões  foram retiradas da  internet
Hozana primo   coordenadora  da EDUCAÇAO  INFANTIL

Nenhum comentário:

Postar um comentário